6 de jan de 2011

Mulheres como Ester, um exemplo de fé e sabedoria

Ester era judia e órfã… foi criada por um parente após a morte de seus pais. Aparentemente uma mulher frágil por sua história de vida e parecia que as coisas não eram muito fáceis pra ela, né?
Além disso, Ester foi selecionada juntamente com outras mulheres por sua beleza e ficou sendo preparada durante 1 ano para conhecer o Rei e aí então ele escolheria aquela que o agradasse mais para substituir a rainha Vasti, que o envergonhara publicamente desobedecendo sua ordem e assim foi destituída de seu cargo real.

Em outras palavras, Ester foi escolhida para participar de um concurso de beleza, preparada durante 1 ano e assim se tornaria rainha ou não, de acordo com a vontade do Rei. Ela poderia ser escolhida ou desprezada.
Enfim, Ester “ganhou o concurso”…rsrsrs
Como todas as mulheres da época, Ester era considerada menor diante dos homens, principalmente diante de rei. E mesmo sendo a rainha, ela precisava ser convidada para entrar à presença do rei. Ela jamais poderia chegar perto de Assuero por conta própria. Sua função real era basicamento obedecê-lo e servi-lo sexualmente.

Olhando para nós, mulheres do século XXI, como seria humilhante para nós estar nessa posição, não é? Submissão total…

Pois é, mas através dessa submissão Ester foi um canal de Deus para a salvação de seu povo, que seria exterminado através da ordem de Hamã, o homem que tinha quase tanta autoridade quanto o rei Assuero no seu reino.

A humilde e submissa Ester, na hora certa, chegou-se ao rei, sem ser convidada, e intercedeu por seu povo. Sua humildade e submissão porém já haviam conquistado o coração do rei Assuero, que fez segundo o pedido de Ester. Ela agora tinha acesso livre ao rei.

História simples a de Ester, porém difícil de ser vivida por nós, mulheres modernas do século XXI… Nós temos aprendido com nossa sociedade sem Deus que devemos ter um homem que somente nos sirva, que faça nossas vontades, que acate sempre nossas decisões… queremos ser independentes, donas do nosso nariz…
Tenho acompanhado a história de alguns casais junto com meu esposo, Gidel, e temos visto como princípios quebrados têm destruído casamentos que tinham tudo para dar certo.

É obvio que o homem tem um dever muito importante a ser cumprido: “Vós maridos, amai vossas esposas, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5:25)
Dura tarefa para os homens. É um grande desafio e uma grande responsabilidade amar como Jesus amou, pois ele deu a própria vida pela igreja.

Mas e quando sua realidade não é essa, mulher? Como agir diante de um marido que talvez ainda não haja como Deus assim ordena?

Creio que o livro de Ester tem uma resposta para essa questão. A primeira coisa que essa mulher fez para que depois recebesse todo o respeito e admiração do rei foi se SUBMETER.
E ela foi mais do que submissa…Ester foi sábia. Submissão não é sinal de fraqueza, e sim de sabedoria e força.
Através da submissão e obediência, Ester ganhou a confiança do rei e ainda foi um importante instrumento de Deus para salvação de todo um povo! Ela foi muito sábia… admirável a postura dessa mulher, que soube ser paciente e esperou o momento certo para falar e se apresentar diante do rei com uma petição.

E você, mulher… qual tem sido o teu papel no casamento? Como você tem agido diante das decisões de seu esposo, que nem sempre são as que você gostaria que ele tomasse? Você tem exercido o papel de auxiliadora ou opressora? Suas atitudes têm edificado e solidificado tua casa ou destruído essa construção, que é o casamento?

A rainha Vasti desobedeceu a seu marido e isso o envergonhou diante de todo o reino. Todos ficaram sabendo. O que geralmente acontece em casamentos onde os papéis estão trocados, onde a mulher assume o controle da família… onde o homem se omite e não age como cabeça… não se engane… todos ao seu redor sabem disso.

Tenho buscado aprender a cada dia ser uma esposa segundo o coração de Deus. Nem sempre é fácil abrir mão da minha vontade para obedecer meu marido. Mas tenho percebido que minha submissão faz com que ele me respeite e me ouça e juntos, na maioria das vezes, temos chegado a um acordo nas decisões da casa. Outras vezes eu simplesmente me submeto às suas decisões. Tem sido muito bom.
Também sou abençoada por ter um marido que busca ser como Jesus… que busca me amar como Jesus amou a igreja. Estamos caminhando, aprendendo, caindo e levantando.. um dia a gente chega lá.

Mas mulher, ainda que teu marido não seja o marido perfeito (como o meu também não é), seja sábia, seja submissa, seja uma mulher que ora, uma mulher que fala na hora certa e até uma mulher ousada, que algumas vezes vai falar sem ser solicitada (como Ester fez e arriscou sua vida)… Mas tenha sabedoria, obedeça os princípios de Deus e você vai descobrir que pode salvar um reino, salvar um povo… salvar teu casamento.

Submeta-se a Deus e será fácil se submeter a teu marido. Ame a Deus e assim você amará o teu marido. Honre ao Senhor e Ele te honrará diante de todos.

Sejamos como Ester, mulheres fortes, sábias, servas de Deus, submissas e muito femininas… pode ter certeza… construiremos um reino, sim.. construtoras do reino de Deus!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário